Quem é o desconhecido José Carlos ou o famoso Machine ?

 

José Carlos Faria Caetano, mais conhecido como Machine, o síndico da passarela, nasceu em Jacarepaguá, foi criado em São João de Meriti precisamente Éden, conta que toda sua família veio do samba, baianas, compositores, passistas, pastores.

– “Eu não era sambista, gostava de dançar quadrilha, mas aos 8 anos de idade, tudo mudou”, assim afirma Machine.

– “Na época estava sendo realizado um concurso de passistas na beija-flor, meu tio China, mestre-sala da escola, me levou para participar, porém nem inscrição tinha feito, me viram sambando do lado de fora e gostaram, minha mãe nem sabia e foi surpreendida com a notícia: fui campeão! ”

-“O tempo passou e aos 12 anos retornei a beija-flor como passista profissional.Fiquei durante 20 anos na agremiação, dei aulas, fui coreógrafo e tive a oportunidade de viajar o mundo inteiro.

Com experiência adquirida ao longo dos anos, tornei-me diretor da ala mirim da Unidos da Ponte e fui consagrado 1° passista, na mesma época fui mestre-sala da minha cidade em um bloco chamado Coração de Éden”.

– “Já fui coreógrafo do Arranco, do Engenho da Rainha, ensaiei baianas no Arrastão de Cascadura, comissão de frente da Rainha, já fiz de tudo um pouco, completa José Carlos”.

– “Em minha trajetória pelo Engenho da Rainha, tive a felicidade de conhecer e trabalhar com intérprete Ciganerey, começamos juntos na agremiação. Jaime Cezário era carnavalesco e eu ensaiava comissão de frente, mestre-sala e a porta-bandeira Gracie Simpatia.”

–”Ajudei muitas escolas pequenas, umas subiram, outras desceram, outras estão na Série C por não conseguirem manter esta estrutura chamada carnaval. Eu tive a felicidade, em um momento complicado de conhecer Xangô da Mangueira, Geraldo Silva e Helinho da Portela e foi através deles que tive a oportunidade de entrar no Sambódromo, consegui fundar a escola mirim Corações Unidas do Ciep, desta escola mirim sairam bons sambistas: Sidclay, mestre-sala do Salgueiro, Julinho, mestre-sala, Tijuca. Depois da Corações, fundamos a Inocentes da Caprichosos e revelamos mais sambistas: Fabrício, mestre-sala, mestre Chuvisco, mestre Marquinhos e Selminha Sorriso, que frequentava a escola para aprender novos passos. ”

-“Durante uma viagem como passista show pela Beija-flor na França, surgiu meu “apelido” Machine, o francês Daniel de Castro encantado com a minha apresentação, começou a gritar: la machine, la machine, sem entender procurei saber o significado e descobri que significava

máquina de sambar. Em um piscar de olhos, está história chegou ao Rio de Janeiro. ”

-“Hoje, tenho 33 anos de Sapucaí, quando entrei em 1984, ela estava sendo inaugurada. ” Conta Machine, orgulhoso.

-” Por passar maior parte do tempo por aqui, as pessoas pensam que eu moro na Sapucaí, não, vou explicar: sou funcionário de uma empresa chamada MJC e quando chega em Outubro, sou contratado pela LIESA, Liga Independente das Escolas de Samba do Rio de Janeiro, para coordenar os ensaios técnicos. Muitas escolas ensaiam de madrugada, preciso estar aqui. Sou casado há 15 anos, tenho uma esposa maravilhosa que entende o meu trabalho e me apoia. Sou pai de 04 meninas e confesso que meu sonho é ter um filho homem. Ganhei 04 netos e 1 neta que acabou de nascer. ”

Machine conta: –”Já viajei para o Japão, Marrocos, França, EUA, Minas Gerais, todos os lugares como palestrante. Esta vasta experiência me levou criar a Equipe Machine, vou aproveitar e explicar sobre o Prêmio também. Equipe Machine, trata-se de voluntários que trabalham em prol do carnaval para adquirir experiências e assumir futuros cargos em agremiações, são 21 pessoas que me ajudam muito e 68 pessoas no total quando inicia-se os ensaios técnicos. Já o Prêmio Machine, não foi criado por mim, como muitos pensam e sim foi uma homenagem das queridas Denise Pinto, Catia Calixto e Dra. Bete, diferente de outros prêmios este homenageia os bastidores do carnaval. Foi emocionante, com ajuda dos amigos deu tudo certo. Em breve será lançado o site Prêmio Machine.”

-” Poucos sabem, mas estou de mudança para Cidade do Samba, serei responsável pelos barracões, mas quando for necessário, estarei aqui em minha segunda casa, minha querida e adorada Marquês de Sapucaí. ”

Podemos dizer que esse desconhecido José Carlos ou o famoso Machine é um ícone do carnaval carioca, e grande responsável por transmitir nossa cultura fora de nossa cidade e país.

* HISTÓRICO MACHINE

* FORMADOR DE MESTRE-SALA E PORTA-BANDEIRA;

* PROFESSOR DE ELEGÂNCIA E DISCIPLINA;

* FUNDADOR ASSOCIAÇÃO DE HARMONIA DO RJ;

* FUNDADOR ASSOCIAÇÃO DE HARMONIA DO BRASIL;

* FUNDADOR DA ESCOLA MIRIM CORAÇÕES UNIDAS DO CIEP;

* FUNDADOR DA CABUÇÚ;

* FUNDADOR INOCENTES DA CAPROCHOSOS;

* FUNDADOR DO PROJETO MESTRE-SALA E PORTA-BANDEIRA TROFÉU MANOEL

Um comentário em “Quem é o desconhecido José Carlos ou o famoso Machine ?

  • 15 de outubro de 2016 em 02:08
    Permalink

    Ola… Sou filho de fundador da Mocidade, ja fiz DIVERSOS trabalhos coreograficos em diversas agremiacoes do grupo especial, ao Acesso. Ha 10anos sou o primeiro mestre Sala da unica Escola de Samba para deficientes.. Embaixadores da Alegria.. Almejo uma credencial APENAS para nao disputar lugar e Ser empurrado em ENSAIOS TECNICOS ja que faco parte do espetaculo ha mais de uma decada.. Como fazer…?

    Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *